Bem, se você é de meados de 1970, como eu, e aprendeu a escrever e ler de uma maneira e está vendo que seus filhos e netos estão aprendendo a ler e a escrever de outra maneira: bem vindo ao blog, este artigo é para você mesmo!

Vamos tratar agora das mudanças em 4 itens do nosso português Brasil (PT BR):

O ALFABETO

Antigamente quando aprendemos o alfabeto, ele tinha apenas 23 símbolos, os quais eram: A,B,C,D,E,F,G,H,I,J,L,M,N,O,P,Q,R,S,T,U,V,X e Z, mas em alguns países em que a língua também é o português, houve uma aglutinação de três letras: K, W e Y, tornando o alfabeto com 26 símbolos. Por muitos anos o Brasil incorporou estas três letras, mesmo não fazendo parte oficialmente do nosso alfabeto e para a felicidade de todos, com o novo acordo ortográfico estas letras foram incorporadas ao conjunto de símbolos, ficando: A,B,C,D,E,F,G,H,I,J,K,L,M,N,O,P,Q,R,S,T,U,W,V,X,Y e Z.

ACENTUAÇÃO (em geral)

Por regra, os ditongos abertos e terminados com “ei”, “oi” e “eu”, não tem mais acentos em palavras paroxítonas. Como é? sim, meu caro amigo ou minha cara amiga, você que aprendeu que o ato mais heróico para salvar um cidadão de um aperto de uma jibóia é ter a melhor idéia, está aprendendo que essa frase que eu acabei de escrever está com os acentos errados – não mais acentua-se heróico, nem jibóia, nem idéia. Mas, calma, palavras oxítonas continuam firme e forte com os seus acentos.

Professor: Como escrevo ele pára o carro, ou ele vai para o carro? coloco os acentos no “pára” (verbo parar) para diferenciar do “para” (para algum lugar) ? Pois é querido padawan… não distingui-se mais. Devemos ver o contexto para analisar o seu significado: Então as frases: Ele vai para casa e ele para o carro com um dedo só, não diferencia-se o “para” como antigamente fazíamos.

TREMA

E o trema como fica? acabou, morreu, bateu as botas, abotoou o paletó, sucumbiu, desviveu, esticou os pés, zé finí (c’est fini)… fim.

HÍFEN

E o hífen? Existe ainda… mas tem algumas regras que vamos relembrar: Não usamos o hífen se o segundo elemento começar com S ou R, terminando a palavra com uma vogal e também não usamos quando o primeiro prefixo termina em vogal e o segundo com outra vogal diferente da primeira. Exemplos: autoimune, autoescola, autossuficiência, contrarregra, etc.

 

por Marcos Tulio G da S JR