Categoria: Livros

Os 10 livros mais vendidos pela Saraiva em Jan/19

  • “A Sutil Arte de Ligar o Foda-se” (Intrínseca), de Mark Manson
  • “As Aventuras na Netoland com Luccas Neto” (Nova Fronteira), de Luccas Neto
  • “O Poder da Autorresponsabilidade — a Ferramenta Comprovada que Gera Alta Perfomance e Resultados em Pouco Tempo” (Gente), de Paulo Vieira
  • “O Milagre da Manhã” (Record), de Hal Elrod
  • “Seja Foda!” (Buzz Editora Ltda.), de Caio Carneiro
  • “O Poder da Ação” (Gente), de Paulo Vieira
  • “Felipe Neto — A Vida por Trás das Câmeras” (Nova Fronteira), de Felipe Neto
  • “Textos Cruéis Demais para Serem Lidos Rapidamente“ (Globo), de Igor Pires da Silva
  • ”O Poder do Hábito” (Companhia das Letras), de Charles Duhigg
  • “Propósito — A Coragem de Ser Quem Somos” (Sextante), de Sri Prem Baba

E você, já leu algum destes? Comenta aqui em baixo o que você achou.

Mudanças na nossa Ortografia – se liga!

Bem, se você é de meados de 1970, como eu, e aprendeu a escrever e ler de uma maneira e está vendo que seus filhos e netos estão aprendendo a ler e a escrever de outra maneira: bem vindo ao blog, este artigo é para você mesmo!

Vamos tratar agora das mudanças em 4 itens do nosso português Brasil (PT BR):

O ALFABETO

Antigamente quando aprendemos o alfabeto, ele tinha apenas 23 símbolos, os quais eram: A,B,C,D,E,F,G,H,I,J,L,M,N,O,P,Q,R,S,T,U,V,X e Z, mas em alguns países em que a língua também é o português, houve uma aglutinação de três letras: K, W e Y, tornando o alfabeto com 26 símbolos. Por muitos anos o Brasil incorporou estas três letras, mesmo não fazendo parte oficialmente do nosso alfabeto e para a felicidade de todos, com o novo acordo ortográfico estas letras foram incorporadas ao conjunto de símbolos, ficando: A,B,C,D,E,F,G,H,I,J,K,L,M,N,O,P,Q,R,S,T,U,W,V,X,Y e Z.

ACENTUAÇÃO (em geral)

Por regra, os ditongos abertos e terminados com “ei”, “oi” e “eu”, não tem mais acentos em palavras paroxítonas. Como é? sim, meu caro amigo ou minha cara amiga, você que aprendeu que o ato mais heróico para salvar um cidadão de um aperto de uma jibóia é ter a melhor idéia, está aprendendo que essa frase que eu acabei de escrever está com os acentos errados – não mais acentua-se heróico, nem jibóia, nem idéia. Mas, calma, palavras oxítonas continuam firme e forte com os seus acentos.

Professor: Como escrevo ele pára o carro, ou ele vai para o carro? coloco os acentos no “pára” (verbo parar) para diferenciar do “para” (para algum lugar) ? Pois é querido padawan… não distingui-se mais. Devemos ver o contexto para analisar o seu significado: Então as frases: Ele vai para casa e ele para o carro com um dedo só, não diferencia-se o “para” como antigamente fazíamos.

TREMA

E o trema como fica? acabou, morreu, bateu as botas, abotoou o paletó, sucumbiu, desviveu, esticou os pés, zé finí (c’est fini)… fim.

HÍFEN

E o hífen? Existe ainda… mas tem algumas regras que vamos relembrar: Não usamos o hífen se o segundo elemento começar com S ou R, terminando a palavra com uma vogal e também não usamos quando o primeiro prefixo termina em vogal e o segundo com outra vogal diferente da primeira. Exemplos: autoimune, autoescola, autossuficiência, contrarregra, etc.

 

por Marcos Tulio G da S JR

7 dicas infalíveis para focar na leitura

Em meio a tanta tecnologia ao nosso redor é muito fácil nos distrairmos e pensando nisto, fiz esta pesquisa para te ajudar no momento da leitura. Lembre-se, quando sair do foco, volte assim que perceber e retome-o.

Seguem as dicas:

1 – Prepare o ambiente

Escolha um ambiente mais tranquilo, sem muito barulho. Evite estar perto de TV ou rádio. 

2 – Desconecte-se do mundo

Experimente desligar os dados móveis e o sinal wifi do celular. Deixe-o apenas com a função para receber uma ligação telefônica (na urgência vão ligar para você).

3 – Crie um objetivo de leitura

Crie um objetivo inicial, como ler 10 folhas do livro por vez ou ler um capítulo por dia ou semana (dependendo do tamanho do livro). O importante é estabelecer esse objetivo inicial para você segui-lo.

4 – Pausas estratégicas são importantes

De tempos em tempos, faça uma pausa para tomar uma água, levantar-se um pouco e esticar a coluna – pode fazer uma pausa a cada 30 minuto, descanse 10 minutos. Estas pausas estratégicas irão renovar suas formas e descansar um pouco os olhos e mente. Depois da pausa, volte à leitura.

5 – Tranquilize sua mente

Você precisa domar seus pensamentos para que eles não atrapalhem o seu foco. É fácil começar a ler e imaginar algo e simplesmente parar de ler e continuar a história na imaginação. O foco é concentrar-se na leitura.

6 – Ler o que interessa

É muito importante gostar do que se está fazendo. Ler livros que te dá prazer é a certeza do sucesso. Aproveite os temas de seu interesse, faça uma coleção de livros naquele nicho e desfrute do seu precioso tempo com uma boa leitura.

7 – Crie o hábito da leitura

No início possivelmente você fará leituras em horas vagas, mas haverá um momento em que a leitura começar a ficar interessante que você começará a ler com mais frequência – Aproveite esse momento para criar um hábito de leitura. Daqui a pouco você estará lendo em diversos lugares  (pegando ônibus, no banco do carona de um carro, numa cafeteria, em casa, etc) e estará achando prazeroso este novo hábito.

por Marcos Tulio G da S JR

Melhore sua leitura

A leitura é um processo de movimentação dos olhos sobre as palavras, fotografando-as e transformando-as em imagens que ao final são traduzidas em pensamentos ou ideias.

Vamos as dicas:

Treinar e melhorar os músculos oculares

Partimos do método de leitura silábica que aprendemos quando fomos alfabetizados e chegamos num patamar aceitável para este princípio quando conseguimos ler na mesma velocidade da fala – desta forma o tempo de leitura é prejudicado.

A melhoria acontece quando você consegue fixar o olhar na palavra e conseguir lê-la inteiramente de uma só vez. Nosso cérebro consegue identificar as palavras com maior rapidez em relação a nossa capacidade de vocalizá-la.

Entendendo esta diferença

  1. Deixar a leitura silábica pela leitura da palavra completa.
  2. O silábico tem muitas paradas.
  3. Ler a palavra inteira acelera o processo de leitura.
  4. A leitura por palavras inteiras gera saltos com os olhos na velocidade de leitura maior do que a leitura silábica.
  5. A lentidão está em ler a palavra mentalmente ou pronunciá-la. Assimilar a palavra completa transformando-a em ideia acelera todo o processo.

Como está sua visão?

A nossa visão tem um ponto focal onde direcionamos o olhar mais aprimorado, detalhado e as regiões mais periféricas são menos aprimoradas. Isto acontece porque temos dois tipos de células relacionadas à visão: os cones e os bastonetes.

OS CONES

Os cones registram as imagens bem iluminadas, e o seu processo de transformação em imagem é mais lento. Os cones são especialistas em distinguir cores e após o tratamento inicial da imagem com iluminação e cor, geram imagens nítidas e perfeitas.

OS BASTONETES

Os bastonetes por sua vez, registram imagens menos nítidas, mas em compensação são mais rápidas no registro da imagem. Não registram cores. 

Área de Visão

Nossa área de visão é dividida em dois segmentos:

Visão Central – formada pelos cones e usamos essa informação para ler. 

Visão Periférica – formada pelos bastonetes e a usamos para ver ao nosso redor imagens sem precisar movimentar muito a cabeça. Não é uma imagem nítida.

Então, ler melhor é melhorar a resolução da visão periférica ajudando no processo de leitura.

Os Objetivos a serem alcançados para melhorar a velocidade da leitura:

  1. Melhorar a velocidade da percepção de novas palavras em milésimos de segundos usando os cones e bastonetes.
  2. Aceleração dos movimentos oculares para que efetuem saltos de olho mais rápidos.
  3. Identificação de novas palavras através da visão formada pelos bastonetes.  

Ponderações na hora da compra de um livro impresso e e-book

Decidir-se por uma aquisição de um livro impresso ou um livro digital (e-book) tem sempre muitas questões a serem ponderadas. Vejamos algumas ponderações de leitores brasileiros:

Um livro impresso não precisa de uma fonte de energia para funcionar, mas com um e-book, você pode ler e reler diversas vezes, sem precisar de se preocupar com deterioração do livro.

Um livro digital deveria ser muito mais barato, já que não possui os custos de impressão e de distribuição do livro impresso. A diferença entre as duas modalidades ainda prendem o leitor ao livro físico.

Existe uma grande parcela da população que até leem e-books, já outra parte preferem o toque, o cheiro, a textura do livro impresso.

Uns acreditam que ambos andarão juntos e haverá espaço tanto para o e-book quanto para o livro impresso, já outros dizem que chegará um tempo que o livro impresso não terá lugar mais nas prateleiras por N motivos, sejam pela causa verde ou pela tecnologia atrair melhor a atenção com o desenvolvimento de livros interativos/multimedia.

Muitos só preferem e-books quando são grátis e outros só compram livros se for extremamente necessário.

Uns tem livros em estantes que necessitam de espaço físico e outros possuem prateleiras de livros virtuais com vários e-books baixados, que necessitam de espaços digitais – mas, existem pessoas que nem leem os livros impressos, nem os digitais.

Livros impressos estão relacionados à posse, enquanto que os e-books estão relacionados ao acesso.

E você? Quais suas considerações sobre os livros impressos e os e-books?
Deixe seu comentário aqui em baixo!

por Marcos Tulio G da S Jr

 

Como aprender mais profundamente os ensinamentos do seu livro usando técnica de provérbio Chinês.

OUVIR

Falar é muito importante, mas saber ouvir é mais ainda. O ouvir considero como uma ENTRADA DE DADOS. É necessário você alimentar seu conhecimento através do que você ouve, realizando os devidos filtros, claro. As vezes, o ouvir causa um certo desconforto quando aplicado a receber um feedback negativo, por exemplo. 

Saber ouvir é essencial para um bom aprendizado, e vamos usar isto ao nosso favor. Algumas pessoas precisam ouvir sua própria voz para se concentrarem mais.

Você já ouviu falar no Sussurrofone? A professora Adélia Muniz, do Piauí, criou uma espécie de telefone feito de cano de PVT para estimular a compreensão e leitura de seus alunos da rede municipal de ensino. Um sussurrofone pode ser construído por menos de R$ 5,00 reais.

O 'sussurrofone' é usado por crianças do 4º e do 5º ano para estímulo de leitura. — Foto: Reprodução/TV Club

O ‘sussurrofone’ é usado por crianças do 4º e do 5º ano para estímulo de leitura. — Foto: Reprodução/TV Club

O ato de OUVIR tem sua importância na pirâmide do aprendizado. Segundo a taxonomia de aprendizagem de Bloom: o ouvir está para relembrar, memorizar.

Devemos avançar no conhecimento subindo na taxonomia para VER.

VER

O VER também é uma ENTRADA DE DADOS e é uma parte muito importante em nossa leitura. Um bom livro com textos agradáveis de se ler, com figuras cativantes e com tons suaves nos dão mais prazer, nos levam a emoções e lugares que muita das vezes só podemos reviver em nossa imaginação.

O uso de nossa visão nos possibilita compreendermos com maior profundidade o que focamos.

Uma criança precisa OUVIR e VER repetidamente os conceitos à ela ensinados para conseguir assimilar um conhecimento. Por exemplo, eu tenho uma filha de três anos que aponta para um local e diz: “Papai, Carro!” ou se ela vê um animal correndo e pulando um muro, ela diz: “Papai, um gato!”. Para ela chegar nesta compreensão, ela precisou que em algum momento, nós como pais, apontássemos para um Carro e repetidamente falássemos a palavra correspondente a imagem.

Uma ação muito importante acontece desde 2005 no Rio Grande do Norte, através do projeto Ver para aprender, do SESC/RN.  O projeto de saúde visual do Sesc, realiza exames oftalmológicos preventivos em alunos com objetivo de identificar e evitar distúrbios que atrapalhem o aprendizado.

Entrega de 340 óculos do projeto Ver para Aprender 2018

Entrega de 340 óculos do projeto Ver para Aprender 2018

Desde então, mais de 4.000 pessoas, entre crianças, adolescentes e idosos, foram beneficiados com a doação de óculos de grau gratuitos.

Vejam como é importante a visão para poder ler bem e compreender bem.  Mas, este tipo de aprendizado usando imagens, também está acontecendo com as máquinas, através de uma área de estudos do aprendizado profundo de máquinas, chamada de MACHINE LEARNING, que ensina-se computadores através de imagens a reconhecerem o mundo ao seu redor.

A IMAGEM + OUVIR O CONCEITO, representa cerca de 15% do aprendizado, ainda é muito pouco. Mas, partamos para o próximo nível cognitivo: O FAZER.

FAZER

Já o FAZER eu considero como uma SAÍDA DE DADOS com retro alimentação da ENTRADA – O que der errado, uma nova forma de fazer será planejado e mesmo dando certo, novas pesquisas para melhorar o que foi feito deverá sempre retro alimentar o processo de aprendizagem.

O fazer é um nível de aprendizado muito profundo. Neste momento todos os conceitos foram aprendidos, todas as imagens registradas e catalogadas em nossos cérebros e a partir daí já conseguimos fazer juízo da informação.

O próximo passo é usar o conhecimento adquirido para FAZER, para criar, para construir.

Este nível de aprendizagem é de aproximadamente 80% do percebido.

Existe um maior nível de aprendizagem? sim, o nível 95% que se obtém quando se repassa o conhecimento, quando se ensina, quando você torna-se um facilitador para outros.

Se eu ouço, eu esqueço;
Se eu vejo, eu entendo;
Se eu faço, eu aprendo!
(Ditado Chinês)

Por Marcos Tulio G. da S. Junior

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén